foi adicionado com sucesso ao carrinho

Como jogar tênis de modo a incorporar os elementos necessários para lidar especificamente com cada tipo de jogador? (Veja o artigo anterior, em que falo sobre os quatro perfis de tenistas).

Para jogar tênis contra os padrões táticos, é necessário analisar, de forma inteligente, os principais ataques do adversário. Por isso, é importante estudar os resultados e impor suas armas!

Neste artigo, apresento algumas sugestões de treinamento (doze exercícios) para transformar o seu plano em ação. Absorva as boas condutas e treine sua tática para vencer mais jogos de tênis.

Fonte da imagem: http://www.meggashop.com.br/blog/esportes/tudo-o-que-voce-precisa-saber-para-aprender-jogar-tenis/

1. Jogar contra o tenista “fundo defesa / contra-ataque”

Características táticas desse padrão (ver artigo anterior):

  • jogadores que correm bastante;
  • muito pacientes;
  • não forçam jogadas desnecessárias.

Exercício de tênis n. 1: o “espanhol”

Jogar uma partida com a seguinte contagem: se a bola fizer 5 trocas, o jogador que vencer o ponto ganha 5 pontos. Se o jogador vencer o ponto após 2 trocas, ganha 2 pontos. A partida tem 50 pontos.

Objetivo: jogar com mais paciência e esperar o momento oportuno para atacar.

Exercício de tênis n. 2: o “clássico”

Jogar uma partida com bolas neutras na cruzada. Só é válido mudar a direção para a paralela caso a bola seja curta (pode-se utilizar a área de saque como parâmetro) e/ou quando conseguir “abrir” a quadra, ou seja, fazendo a bola sair pela linha do corredor.

Objetivo: aprender a mudar a direção a partir dos sinais da qualidade da bola (por exemplo, quando a bola vier curta e lenta, surpreenda e ataque na paralela) e saber abrir a quadra (jogar uma bola cruzada e angulada, fazendo com que saia pela linha do corredor).

Exercício de tênis n. 3: o “oportunista”

Jogar uma partida de 10 pontos com um jogador do tipo “fundo defesa / contra-ataque”. O outro jogador joga livre, mas com incentivo para subir à rede. Assim, se o tenista livre for para a rede, já marca 1 ponto de bônus, e ganha mais 1 se conseguir vencer a bola. Ou seja, se esse jogador for para a rede e ganhar a jogada, na verdade ele acumula 2 pontos. Se for para a rede, mas perder a disputa, cada jogador ganha 1 ponto: o atacante por ter subido à rede e o defensor por ter ganhado a jogada.

Objetivo: saber finalizar os pontos na rede e desenvolver audácia.

2. Jogar contra o tenista “fundo ataque”

Características táticas desse padrão (ver artigo anterior):

  • jogadores com muita potência nos golpes de fundo;
  • jogam mais dentro da quadra, fechando os espaços;
  • golpeiam a bola na subida.

Exercício de tênis n. 4: o “rio”

O “rio” é uma região da quadra delimitada, por exemplo, por cones — é um instrumento auxiliar no ensino do tênis.

Este exercício consiste em jogar sem a bola quicar na área de saque.

Objetivo: conseguir jogar mantendo a bola profunda, sem deixar o adversário confortável, rebatendo dentro da quadra.

Exercício de tênis n. 5: o “Nadal”

Jogar uma partida (10, 15 pontos, etc.) com papéis definidos. Jogador A: joga dentro da quadra, golpeia atacando com bolas planas e potentes. Jogador B: joga mais atrás da linha de fundo, golpeando com top spin alto e fundo para ganhar tempo.

Objetivo: resistir aos ataques e mudar os ritmos do jogo.

Exercício de tênis n. 6: “o primeiro segundo saque”

Jogar uma partida de 10 pontos com saque e devolução. O sacador marca 2 pontos se ganhar o ponto sem utilizar o segundo saque. Se utilizar o segundo saque e vencer o ponto, marcará apenas 1 ponto.

Objetivo: desenvolver as escolhas de jogo no saque para aumentar o percentual do primeiro saque e impedir o jogador “fundo ataque” de aproveitar a devolução potente no segundo saque.

Fonte da imagem: http://www.brila.net/rafael-nadal-karolina-pliskova-named-top-seeds-at-2017-us-open/

3. Jogar contra o tenista “jogador de rede”

Características táticas desse padrão (ver artigo anterior):

  • jogadores que avançam para a rede em qualquer possibilidade;
  • tentam intimidar o adversário.

Exercício de tênis n. 7: passar no “V”

Jogar uma partida (7, 10, 15 pontos, etc.) em que o jogador A lança uma bola curta para o jogador B, que deve subir à rede. Se o jogador B faz o approach na cruzada, a resposta do jogador A deve ser na paralela. Se a aproximação for paralela, o jogador A deve responder com uma primeira bola cruzada e baixa.

Objetivo: responder a bola nos melhores espaços para neutralizar a ação do jogador de rede (teoria dos ângulos).

Exercício de tênis n. 8: passar no “T”

Jogar uma partida (7, 10, 15 pontos, etc.) em que o jogador A joga exclusivamente utilizando a combinação de saque e voleio e o jogador B tenta devolver sempre a primeira bola com uma bola que quica perto do “T”.

Objetivo: desenvolver o percentual alto de resposta na devolução e obrigar o adversário a fazer voleio com bolas baixas.

Exercício de tênis n. 9: o “rio” no saque

Jogar uma partida de 10 pontos. O sacador ganha 1 ponto de bônus a cada saque atrás do “rio” — lembre-se de marcar com cones ou latas de bola a profundidade do saque, para manter a bola funda. Quem vencer a disputa, ganha 1 ponto referente à jogada.

Sendo assim, o devolvedor ganha 1 ponto de bônus caso passe o adversário que está na rede e, ao vencer a jogada, obtém mais 1 (totalizando 2 pontos). Já o sacador, ao executar um saque profundo e vencer a jogada, ganha 2 pontos (1 da jogada em si e o outro referente ao bônus pelo saque).

Objetivo: dificultar as subidas à rede do adversário a partir da devolução de saque.

4. Jogar contra o tenista “completo”

Fonte da imagem: http://www.osul.com.br/guga-comemora-15-anos-do-bicampeonato-de-roland-garros-com-acoes-em-paris/

Características táticas desse padrão (ver artigo anterior):

  • jogadores bastante versáteis que podem jogar em qualquer região da quadra;
  • desempenham com qualidade todas as situações de jogo.

Exercício de tênis n. 10: o “Guga

Jogar uma partida (7, 10, 15 pontos, etc.) em que o jogador A saca e o jogador B tem o objetivo de direcionar as devoluções para o centro e para o fundo (utilizar cones ou latas de bola para criar uma referência visual). Progressão: o jogador pode abrir o ponto, deixando o jogo livre, após a devolução ter sido executada no centro e de forma profunda.

Objetivo: proporcionar menos ângulo para o sacador e impedi-lo de tomar a iniciativa do ponto, além de aumentar a margem de acertos mirando em um alvo grande.

Exercício de tênis n. 11: “Nadal vs. Federer”

O jogador completo é um jogador que precisa “criar” e se divertir na quadra — geralmente ele não é tão paciente. Por isso, treine da maneira seguinte: jogue uma partida (7, 10, 15 pontos, etc.) limitando as jogadas do adversário ao jogar bolas altas no backhand — como o Nadal costuma jogar contra o Federer. Seu oponente não vai poder se expressar como gosta e vai forçar as escolhas de jogo dele.

Objetivo: implantar apenas um plano de jogo e fazer o adversário jogar sem possibilidade de força e precisão.

Exercício de tênis n. 12: o “Ashe”

Jogar uma partida em que o jogador A tem 20 pontos (média de 3 games, considerando 6 pontos por game), a fim de definir qual é o golpe do adversário que te incomoda mais (no qual você erra mais ou devolve bolas fracas). Jogar os 20 pontos seguintes com a proposta de realizar a maioria das jogadas evitando o golpe do adversário (que foi informado na primeira parte do exercício) e impedi-lo de desenvolver o jogo dele.

Objetivo: treinar a leitura rápida do jogador e definir um plano de jogo.

Todos esses exercícios têm como propósito desenvolver as escolhas do tenista. São apenas exemplos que possibilitam evoluir no jogo de tênis.

Várias outras situações podem ser válidas! Se você quiser compartilhar mais exercícios e exemplos, deixe seu comentário!

Fonte da imagem de capa: https://br.freepik.com/fotos-gratis/feche-a-vista-da-raquete-com-bola_1188598.htm

Laurent Philippe

Autor Laurent Philippe

Mais posts por Laurent Philippe