foi adicionado com sucesso ao carrinho

O professor de Educação Física escolar deve ter convicção da relevância do conteúdo que está sendo transmitido para os alunos. No cenário pedagógico do século XXI, o objeto de discussão é, sem dúvida, a inter-relação entre as áreas do saber, que, resumidamente, orienta a concepção do ensino para o conhecimento em rede, orgânico e contextualizado, que vai conectar e promover uma expansão de assuntos, fatos, curiosidades e informações que não são fechados ao tema inicial. Dessa forma, o tênis pode ser o “estopim” para abrir caminho e aprofundar discussões extremamente oportunas para o aluno.

Neste post, iremos apresentar três pequenos textos e apontar as conexões para a diversidade de assuntos que permeia o jogo de tênis.

1) O ás da aviação

Fonte da imagem: http://invitaminerva45.blogspot.com.br/2017/09/nos-primordios-da-aviacao-roland-garros.html

 

O torneio de Roland Garros, na França, é um dos quatro maiores torneios do mundo (Grand Slam). É disputado desde 1928, em superfície de saibro (terra batida). O melhor jogador masculino na história do tênis brasileiro, Gustavo Kuerten “Guga”, sagrou-se tricampeão neste importante evento, vencendo as competições nos anos de 1997, 2000 e 2001.

O torneio leva este nome em homenagem a um aviador francês considerado um herói na Primeira Guerra Mundial por suas consecutivas vitórias sobre a esquadrilha alemã; quando abatido e capturado pelos alemães em 1914, tentou destruir o próprio avião para que os inimigos não reproduzissem seu sistema de artilharia inovador, que posicionava a metralhadora à frente do piloto, podendo ser disparada através da hélice. Ele também reforçou a hélice de seu avião com aço, o que fazia com que as balas desviassem. Quando capturado, foi levado para o campo de concentração em Zossen, na Alemanha, de onde conseguiu fugir em 1918, embora tenha sido morto por uma esquadrilha alemã três semanas antes do fim da Guerra.

Roland Garros também foi amigo do pai da aviação, o brasileiro Santos Dumont; esteve diversas vezes no Brasil, participando de corridas aéreas; acumulou viagens pela América do Sul. Era um desbravador!

Conexões: Primeira Guerra Mundial. História da aviação. Tecnologia bélica.

2) Diamante negro

Fonte da imagem: http://thehilltoponline.com/2017/02/16/arthur-ashe-tennis-legend-and-african-american-community-role-model/

 

O maior jogador negro de tênis da história foi o norte-americano Arthur Ashe, vencedor de três torneios de Grand Slam (Aberto dos Estados Unidos, em 1968; Austrália, em 1970; e Wimbledon, em 1975).

Seu feito memorável foi a conquista do Aberto dos Estados Unidos, onde Ashe tinha o status de jogador amador e, no entanto, obteve a conquista na primeira edição do US Open. Sua façanha lhe rendeu a honraria de ter o maior estádio de tênis do mundo construído em seu nome — “Estádio Arthur Ashe”, que possui capacidade para acomodar 22.547 pessoas e fica na cidade de Nova York, onde é realizado o aberto dos Estados Unidos.

Mas foi fora das quadras que ele travou as suas maiores batalhas. Ashe teve que se submeter a duas cirurgias no coração. Em 1988, descobriu que tinha contraído o vírus HIV como resultado das transfusões sanguíneas recebidas durante as cirurgias cardíacas. Ele e a esposa mantiveram a doença em segredo até 1992, mas depois ele se tornou um porta-voz da prevenção ao vírus HIV no mundo todo. Faleceu em 1993, como resultado das complicações da doença.

Conexões: Saúde pública (prevenção das DSTs). Doenças cardíacas.

3) Vencer a todo custo?

Fonte da imagem: https://austria-forum.org/af/Biographien/Muster%2C_Thomas

 

A Copa do Mundo do tênis é denominada como Copa Davis, sendo disputada todos os anos pelos países que buscam conquistar este almejado título. O Brasil nunca venceu esta competição, mas chegou a duas semifinais — em 1992 e em 2000. No ano de 1996, o Brasil enfrentou a Áustria, que contava com o melhor jogador do mundo naquele momento (Thomas Muster). Esta é uma das poucas competições por equipe do tênis e, por conta do clima de rivalidade e espírito nacionalista, alguns fatos negativos acontecem.

No confronto do jogo de duplas, Thomas Muster abandonou a partida, alegando estar sendo insultado pelo público — algum espectador estava direcionando os raios de sol através de um espelho diretamente nos olhos do jogador; houve xingamentos e um coro ensurdecedor de “Muster gay” —, e este foi o momento derradeiro da participação austríaca. Inconformado, o austríaco abandonou o confronto e a equipe brasileira passou para a próxima fase. Lastimável o comportamento do público!

Conexões: Homofobia. Ética e valores esportivos. Monocultura esportiva (como a cultura futebolística afeta negativamente outras modalidades).

Fonte da imagem: http://claudiorecco.com.br/enem-historia-e-interdisciplinaridade/

 

O conceito da interdisciplinaridade é transformar informações em conhecimento. O desafio para as futuras gerações mostra, cada vez mais, ser a habilidade de viver em um ambiente transitório, onde os indivíduos sejam mais plásticos socialmente, podendo desfrutar da cultura, convivendo com as diferenças. O tênis é uma ferramenta como outras tantas para o professor de Educação Física escolar se afirmar como um educador de fato, promovendo a educação de “corpo inteiro”, e não apenas o fazer destituído de significado cultural!

 

“A escola é a casa de cultura da sociedade”

Denis Santos

Autor Denis Santos

Mais posts por Denis Santos